Parábola do Semeador Explicação: Que Tipo de Solo Você É?

A Parábola do Semeador é uma das mais famosas do Senhor Jesus. Há uma riqueza de valores e verdades eternas em seu conteúdo. Tendo uma multidão vinda de diversas partes da Galiléia, Ele aproveitou para esclarecê-las acerca da necessidade de estarem atentos a todo seu ensino.

Ouvir a Palavra de Deus é sempre muito bom, mas não podemos considerá-la apenas como entretenimento. Precisamos refletir. Precisamos ser confrontados. Arrastados por ela, para o centro da vontade de Deus.

Por isso, neste estudo sobre a Parábola do Semeador, minha intenção é analisar o sentido e quais as lições para nossa vida.

Sendo assim, amarre os cintos. Fique confortável e “VAMO!”

Parábola do Semeador: À Beira do Caminho

“O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. (Lucas 8:5)

Ao iniciar a parábola do semeador, o Senhor Jesus evoca, ou cria uma imagem mental, bastante comum ao público que o ouvia. Muitos deles trabalhavam na agricultura e compreendiam muito bem o que estava sendo dito, e o fato é que eles tinham consciência de que parte da semente, realmente caia na lateral do caminho semeado ou era pisoteado pelo próprio semeador.

Essa semente que se perdia, caía em solo duro e não conseguia germinar. Com isso, era o alimento das aves de rapina.

Parábola do Semeador: Caindo Sobre a Rocha

Parte dela caiu sobre pedras e, quando germinou, as plantas secaram, porque não havia umidade. (Lucas 8:6)

É típico da Palestina – agora Israel e suas vizinhanças – que uma porção considerável de sua terra arável se acha debaixo de estratos rochosos. Às vezes a rocha se encontra bem na superfície, de maneira que a terra é pouco profunda. Em tal situação, a semente, no processo de germinação, tem uma só direção para crescer, isto é, para cima. (Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 515). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

Neste contexto, a semente que caía sobre a rocha, brotava imediatamente. Contudo, o fato de não ter raízes profundas limitava sem desenvolvimento. Pois não tinha como sugar a água e os nutrientes necessários para garantir sua sobrevivência.

Sendo assim, o calor do sol logo tratava de fazê-la murchar.

Parábola do Semeador: Entre os Espinhos

Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas. (Lucas 8:7)

Visto que cada canteiro de terreno só tem um espaço para uma quantidade definidamente restrita de vida vegetal e nada cresce mais rápido do que aquela que não se deseja, logo os espinhos cresceram mais que o grão nobre e acabaram por sufocá-lo. (Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 515). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

Enquanto o semeador da parábola espalha suas sementes, percebemos que ela cai nos mais diversos tipos de solo. A resposta daquela que caiu entre os espinhos foi rápida.

Ela se desenvolveu e foi mais longe que as anteriores. Fincou raízes, resistiu ao sol e cresceu. Mas havia um agente limitante: os espinhos. Eles impediram seu desenvolvimento completo. A sufocaram.

A Parábola do Semeador e a Boa Terra

Outra ainda caiu em boa terra. Cresceu e deu boa colheita, a cem por um.(Lucas 8:8)

Finalmente a semente encontrou o solo ideal. Bem arado, com profundidade necessário, limpo, sem ervas-daninhas. Ou seja, o ambiente ideal para receber a boa semente.

A consequência disso, foi uma produção abundante. Uma semente gerou cem novos grãos. Mateus 13.8 e Marcos 4.8 dizem que ela gerou, “30, 60 e cem por um.” Lucas registra apenas a colheita máxima.

Esteja Atento!

Tendo dito isso, exclamou: “Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça! ” (Lucas 8:8)

Ao contar a parábola do semeador, o Senhor Jesus faz um alerta: OUÇA!

Os ensinamentos de Cristo devem ser motivo de grande atração para nós. Não devemos observá-los com desdém, desprestigio ou como se fossem ultrapassados.

Eles são eternos e nunca envelhecem ou perdem o valor. Precisamos dedicar tempo e atenção para ouvir a voz do nosso Senhor a nos instruir e chamar.

A Parábola do Semeador e o Desejo de Quem Ama

Seus discípulos perguntaram-lhe o que significava aquela parábola. Ele disse: “A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino de Deus, mas aos outros falo por parábolas, para que ‘vendo, não vejam; e ouvindo, não entendam’. (Lucas 8:9,10)

Naturalmente, aqueles que seguem a Jesus Cristo e desejam conhecê-lo mais, estão sempre à procura de entender os significados de seus ensinos.

A resposta do Senhor, aos discípulos é algo realmente profundo. “A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino de Deus…”.

A palavra mistério é muito interessante. Fora do Cristianismo, na esfera do paganismo, se referia ao ensino, rito ou cerimônia secreta que tem que ver com a religião, porém oculta das massas e só conhecida (ou praticada) por um grupo de iniciados. Na LXX (grega), na tradução de Daniel 2, onde a palavra aparece não menos de oito vezes (no singular nos vs. 18, 19, 27, 30 e 47b; no plural nos vs. 28, 29 e 47a), se refere a um “segredo” que deve ser revelado, um enigma que deve ser interpretado. (Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 517). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

Para aqueles que estão verdadeiramente em Cristo, a linguagem por Ele utilizada não será um impedimento ao entendimento pleno de sua vontade. Pois o próprio Senhor se encarregará de nos dar a compreensão.

A Parábola do Semeador e Seu Significado

“Este é o significado da parábola: A semente é a palavra de Deus. As que caíram à beira do caminho são os que ouvem, e então vem o diabo e tira a palavra dos seus corações, para que não creiam e não sejam salvos.

As que caíram sobre as pedras são os que recebem a palavra com alegria quando a ouvem, mas não têm raiz. Crêem durante algum tempo, mas desistem na hora da provação.

As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações, pelas riquezas e pelos prazeres desta vida, e não amadurecem.

Mas as que caíram em boa terra são os que, com coração bom e generoso, ouvem a palavra, a retêm e dão fruto, com perseverança”. (Lucas 8:11-15)

Algumas considerações sobre este texto precisam ser feitas para que anossa compreensão seja completa:

  1. O Semeador é o Senhor Jesus: Mateus 13.37: “O que semeia a boa semente é o Filho do homem”;
  2. O solo simboliza o coração humano;
  3. Há quatro tipos de coração na parábola do semeador: Poder-se-ia falar de o coração que não responde (Lc 8.12), o coração impulsivo (v. 13), o coração preocupado (v. 14) e o coração bom, ou bem-preparado (v. 15). (Hendriksen, W. (2014). Lucas. (V. G. Martins, Trad.) (2a edição, Vol. 1, p. 519). São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.)

A lição final da parábola é: cada pessoa dá uma resposta diferente à mensagem da Palavra de Deus no seu íntimo. A forma como esta mensagem se desenvolverá, vai depender da atitude do ouvinte de crer e se entregar, ou não.

Conclusão

A Parábola do Semeador nos ensina que a Palavra de Deus é a Preciosa semente espalhada pelo Senhor Jesus e por seus representantes. Cada pessoa, em cada situação e contexto deve decidir crer e se entregar a esta mensagem.

Caso contrário, a semente tomará rumos de perdição. Será alimento para o Diabo, murchará com a fraqueza e sufocará com as preocupações. Apenas o coração rendido frutificará completamente.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here