Parábolas de Jesus Diego Nascimento

Parábola dos Lavradores Maus: A Rejeição de Israel e o Juízo de Deus

A parábola dos lavradores maus foi contada em um contexto bastante adverso. Aqui, os mestres da lei e os fariseus questionaram a Jesus da seguinte forma: Com que autoridade estás fazendo estas coisas? Quem te deu esta autoridade” (Lucas 20:2).

O motivo disso, é que cada um deles era uma autoridade estabelecida segundo os princípios determinados pela legislação judaica. Por outro lado, Jesus não recebeu nenhuma averbação terrena para ensinar e operar milagres.

É nesse ponto que entra a parábola dos lavradores maus. Ela é uma clara resposta do Senhor a este questionamento.

Ao final da parábola, Jesus declara: “Então, qual é o significado do que está escrito? ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular’. (Lucas 20:17)

Jesus não apenas recebeu autoridade para desempenhar seu ministério, ele é na verdade o fundamento sobre o qual toda a autoridade e domínio do Reino de Deus se firma e desenvolve.

Portanto, leia o estudo até o final e aproveite!

A Parábola dos Lavradores Maus e a Vinha

Então Jesus passou a contar ao povo esta parábola: “Certo homem plantou uma vinha, arrendou-a a alguns lavradores e ausentou-se por longo tempo.

Na época da colheita, ele enviou um servo aos lavradores, para que lhe entregassem parte do fruto da vinha. Mas os lavradores o espancaram e o mandaram embora de mãos vazias. (Lucas 20:9,10)

O Senhor Jesus conta a parábola dos lavradores maus como formato de denúncia a nação de Israel. Isto porque os Senhor os chamou e cultivou com amor, como um pai faz com o filho.

Os libertou das mãos de Faraó e da escravidão do Egito. Abriu o mar diante deles, os alimentou no deserto, e lhe sujeitou grandes nações inimigas para lhes dar Canaã como herança, mas mesmo assim. A nação rejeitou ao Senhor, desobedeceu Sua Palavra e adorou a outros deuses.

Ao demonstrar amor por Israel, o Senhor esperava que eles retribuíssem o carinho com devoção, santificação e obediência aos seus mandamentos.

Mas grande foi a “decepção”. Israel rejeitou as leis e os servos que verdadeiramente a representavam para seguir seus próprios caminhos (Veja Isaías 5.1 – 7).

Isto deve servir de alerta para nós. Vivemos em uma sociedade onde o ser humano é o seu próprio deus e que acredita que Deus é apenas amor, e que não punirá a desobediência.

Vemos na parábola dos lavradores maus que esse é um grande engano. Deus espera de nós a obediência e a santificação. Quando não lhe entregamos isso, somos comparados aos lavradores maus, que receberam a vinha e não a valorizaram.

A Rejeição aos Mensageiros

Ele mandou outro servo, mas a esse também espancaram e o trataram de maneira humilhante, mandando-o embora de mãos vazias. Enviou ainda um terceiro, e eles o feriram e o expulsaram da vinha. (Lucas 20:11,12)

Na segunda parte da parábola dos lavradores maus, Jesus destaca a maneira como Israel tratou os profetas enviados para advertir a desobediência da nação. Um ótimo representante desse grupo é o profeta Jeremias.

Observe o que o Senhor Deus lhe diz:

Desde a época em que os seus antepassados saíram do Egito até o dia de hoje, eu lhes enviei os meus servos, os profetas, dia após dia. Mas eles não me ouviram nem me deram atenção. Antes tornaram-se obstinados e foram piores do que os antepassados deles’. (Jeremias 7:25,26)

Profeta após profeta o Senhor lhes enviou com o objetivo de exortá-los a servir a Deus, mas eles não quiseram. Até que em cerca de 600 a.C Jerusalém foi sitiada pelo exército babilônico e os judeus levados como escravos para a Babilônia.

Este cativeiro durou 70 anos e em terra estrangeira, Israel deu origem a uma geração que não conheceu a Deus, praticamente.

A lição que fica para nós é a de que rejeitar a direção de Deus é algo extremamente perigoso. Vivemos dias em que temos a possibilidade de ouvir ou aprender o que quisermos da Bíblia.

Isso é bênção, mas pode ser muito perigoso. Porque podemos ser tentados a receber a “palavra de bênção”, mas sermos resistente a “palavra de repreensão”.

Sobre isso, observe o que diz o apóstolo Paulo:

Pois não deixei de proclamar-lhes toda a vontade de Deus. (Atos 20:27)

A pregação de Paulo, envolvia toda a vontade de Deus, não apenas partes dela. Não era só prosperidade ou pecado. Santificação ou legalismo. Mas tudo aquilo que é a vontade de Deus o apóstolo proclamava as Igrejas de sua época.

Uma grande lição é ministrada para nós aqui. Não devemos nos interessar apenas por aquilo que é “agradável no Evangelho”, mas por toda a Palavra de Deus.

Enviando o Filho Amado

“Então o proprietário da vinha disse: ‘Que farei? Mandarei meu filho amado; quem sabe o respeitarão’. “Mas quando os lavradores o viram, combinaram entre si dizendo: ‘Este é o herdeiro. Vamos matá-lo, e a herança será nossa’. (Lucas 20:13,14)

Por fim, ao perceber a dureza de coração da nação de Israel, o Senhor Deus enviou seu Filho Jesus, com a intenção de que eles o recebessem e cressem na sua mensagem.

Mas foi exatamente o contrário.

Na parábola dos lavradores maus, Jesus mostra como os judeus o tratariam. O rejeitaram. Desafiaram. E por fim, combinaram entre si como matá-lo. A intenção dos lavradores na parábola era ficar com toda a vinha.

Na prática, o Filho de Deus estava mostrando quão grande era a ganância religiosa das autoridades religiosas da nação de Israel. Eram tão legalistas e cegos, que não perceberam quando Deus enviou seu Filho.

E mais que isso. O espancaram, condenaram e mataram.

Por mais que a morte de Jesus na Cruz seja a nossa redenção, é um episódio do qual devemos nos envergonhar e refletir profundamente.

Em nossos dias, muitas autoridades religiosas no Brasil cometem este erro. Eles caem na tentação de achar que o povo lhes pertence, e com o tempo se tornam insensíveis aos mandamentos da Palavra de Deus.

Normalmente isso acontece, porque o desejo de manter o “poder” e o rebanho, sob a custódia deles se torna maior que o seu amor e submissão a Deus.

A Parábola dos Lavradores Maus e o Julgamento

Assim, lançaram-no fora da vinha e o mataram. “O que lhes fará então o dono da vinha?

Virá, matará aqueles lavradores e dará a vinha a outros”. Quando o povo ouviu isso, disse: “Que isso nunca aconteça! ” (Lucas 20:15-16)

Jesus encerra a parábola dos lavradores maus falando sobre o julgamento daqueles que rejeitaram os servos e o filho do dono da vinha.

E o que aconteceu foi, a vinha foi tirada deles e dada a outros. O que isso significa?

Significa que os privilégios das promessas de Deus e sua redenção se estenderam a todo aquele que crê.

Anteriormente, a promessa de redenção era para Israel apenas, mas agora em Jesus Cristo, pessoas de todos os povos, línguas, tribos e nações podem se achegar a Deus e descansar à sombra dessa vinha e comer de seus frutos.

Ou seja, temos um Deus amoroso, porém justo. Aqueles que o desejarem receberão seu favor e presença. O contrário é verdade, aqueles que o desprezaram não provarão seu amor.

Conclusão

A parábola dos lavradores maus é uma denúncia do Senhor Jesus, contra a desobediente nação de Israel e seu sistema religioso que se tornou insensível a direção de Deus e ao seu Espírito.

Eles perderam o prazer de se sujeitar a Deus e passaram a dar maior valor aquilo que é humano, do que a aquilo que vem dos céus.

Os líderes religiosos, responsáveis pelo ensino da Lei se tornaram insensatos, cegos e gananciosos de tal forma, que quando Deus enviou seu próprio Filho, não perceberam e rejeitaram sua autoridade.

A minha oração é que o Espírito Santo nos livre de tamanho pecado. Que o nosso entendimento permaneça sensível e aberto a voz de Deus.

Por fim, eu gostaria de conhecer sua opinião. O que achou do assunto? Deixe seu comentário. Além disso, não esqueça de compartilhar este estudo com o maior número possível de pessoas.

Deus abençoe!

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, e estudante de Teologia. Seu amor por Jesus e pela Bíblia o inspirou a fundar esse site.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

6 Comentários

  1. Luís Antônio Stracci disse:

    O que eu achei foi que dois

    acontecimentos muito importante aconteceu, que mudou toda os planos de Deus para comos Judeus que recusaram não só o Filho de Deus Jesus, mas também a Salvação
    E outro acontecimento muito importante para nós dois que a Salvação se estendeu para todo o mundo e todos os povos da terra inclusive nos Aleluia Aleluia Glórias a Deus

  2. raulino disse:

    muito bom nos levando a refletir como devemos estar na presença de DEUS firmes e obdientes a sua palalvra em todo envangelho

  3. Cleomar Silva Santos disse:

    Muito bom, gosto muito do rico ensino da palavra de Deus… Obrigado.. Deus os abençoe!

  4. Josimar disse:

    A paz do Senhor Jesus, agradeço a Deus pela sua vida,pois tem passado esse estudo abençoado e abençoando nossas vidas. Que Deus continue vos usando .

  5. Eddy Fratino disse:

    Bom dia a paz . Achei muito esclarecedor. Bênção do céu.

  6. Glaucia disse:

    Muito forte esse ensino temos muito que aprender e que a nossa vontade de obedecer sejar maior do que a vontade de desobedecer em nome de Jesus

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.
});

O jesuseabiblia.com tem uma nova Política de Privacidade e Cookies Saiba mais.