O jejum de Daniel é sem dúvida uma ferramenta poderosa para ser utilizada em momentos decisivos da nossa vida. Daniel jejua em duas situações chave: quando chega a Babilônia e quando precisa receber uma resposta de Deus.

Qual é a sua necessidade?

Seja qual for, a consagração de Daniel pode lhe ajudar a alcançar grandes coisas em Deus e obter resultados extraordinários, em circunstâncias completamente desfavoráveis.  

1. Começa Com Uma Decisão

Daniel foi levado como escravo para a Babilônia, junto com as mentes brilhantes dos judeus. Chegando lá, ele deveria passar por um período de adaptação com a nova cultura.

Uma das primeiras atitudes do rei, foi mudar o nome dele, que passou a chamar-se Beltessazar. A intenção era mudar sua identidade, desligá-lo de seu passado e de sua fé, mas eles não conseguiram.

Quando o cardápio foi apresentado, Daniel pediu para comer apenas legumes, não queria se tornar impuro com as comidas e bebidas babilônicas (Daniel 1:8,9).

O jejum de Daniel começa com uma decisão!

Sua decisão feria a ordem do rei, algo que podia ser punido com a morte, mas Deus interviu e o supervisor responsável por ele e seus amigos, permitiu que comessem apenas legumes.

O primeiro jejum de Daniel tem o objetivo de fugir do pecado e manter a consagração. E vemos que a partir dele, o Senhor Deus começa a desenvolver Seu propósito na vida do jovem.

Isso nos mostra que idade, distância, presença ou ausência dos pais, não podem ser argumento em favor do pecado. Mesmo em uma situação completamente desfavorável, Daniel manteve sua consagração e se absteve da impureza babilônica.

2. O Presente de Deus

O jejum de Daniel lhe rendeu preciosos frutos, tanto na esfera natural, terrena, quanto na esfera espiritual. Em Daniel 1:16,17, vemos que a alimentação a base de legumes como ato de obediência e consagração, fez com que o Senhor Deus desse a ele e a seus amigos, sabedoria e inteligência, em diversos aspectos da cultura e do conhecimento.

É muito interessante notar, que eles foram submetidos a uma espécie de concurso público federal na Babilônia, onde Daniel e seus amigos foram avaliados dez vezes melhores que seus concorrentes.

IMPRESSIONANTE!

Devemos refletir sobre todas as revelações feitas nesses textos bíblicos, principalmente em nossos dias, pois são dias de muita autossuficiência, arrogância, soberba e distância de Deus.

O exemplo de Daniel e sua consagração a Deus, além dos resultados apresentados após sua decisão, deve nos fazer refletir sobre nossos posicionamentos diante das dificuldades.

Estes jovens poderiam se conformar com a comida e cultura babilônica, mas não! Eles se posicionaram, decidiram pelo jejum, e assumiram os riscos disso.

Há muitas e poderosas lições para nossa geração, que não quer sofrer nada e quer obter grandes vitórias em Deus.

3. O Jejum de Daniel e a Resposta de Deus

Em Daniel 10:1-7, vemos que o profeta recebeu uma grande visão e revelação da parte de Deus. Na ocasião, Daniel revela que estava em consagração.

Por três semanas, ele estava chorando e jejuando. Neste jejum, Daniel abriu mão de comidas saborosas, carne, vinho, perfumes e tudo o que pudesse representar prazer, para sua natureza humana.

A atitude e consagração dele, o fez receber uma visita celestial ilustre. É interessante notar, que na ocasião outras pessoas estavam com ele, mas não viram nada.

Isto nos mostra, que o Senhor Deus está atento a nossa dedicação e amor por Sua Palavra e Espírito. Ele se revela para aqueles que abrem mão dos prazeres deste mundo com o objetivo de conhecê-lo mais de perto.

Conclusão

Vivemos em uma geração que quer muito de Deus, fazendo e se dedicando muito pouco. Enquanto Daniel jejuou e orou por vinte e um dias, nós passamos minutos orando.

O jejum de Daniel nos mostra que Deus responde a um coração consagrado e decidido a honrá-lo mesmo em contextos completamente desfavoráveis.

O exemplo deste homem de Deus, deve nos inspirar a seguir seus passos e esperar resultados extraordinários. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here